Bayer Logo Bayer Logo Bayer Logo Bayer Logo

10 passos para ter uma alimentação saudável no dia a dia

 Tempo de leirura: 05 minutos

 Publicado em segunda-feira, 01/11/2021 - 00:50

Poucos ditados populares são tão verdadeiros quanto o “você é o que você come”. E isso não tem relação com padrões estéticos ou, necessariamente, com a manutenção ou busca de um determinado peso. Uma alimentação balanceada influencia diversas questões de saúde.

 

Mas ainda há muita confusão sobre o assunto. Afinal, o que é saudável? Como manter uma dieta balanceada em um cotidiano tão corrido como o que temos hoje?

 

Foi para te ajudar com isso que separamos 10 dicas para ter uma alimentação saudável. Elas fazem parte do Guia Alimentar Para a População Brasileira, desenvolvido pelo Ministério da Saúde para auxiliar os brasileiros a comer melhor no dia a dia e com isso viver uma vida mais saudável.


Mas dentre todos os benefícios, alguns se destacam:
 

1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação

1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação

Sua alimentação deve ter o máximo possível de alimentos in natura (folhas, frutas, verduras, legumes, ovos, carnes e peixes) ou minimamente processados  (arroz, feijão, lentilhas, cogumelos, frutas secas, sucos de frutas sem adição de açúcar, castanhas e nozes sem sal, farinhas de mandioca/tapioca/trigo e massas frescas). O que caracteriza esses alimentos são as poucas alterações (ou nenhuma) em sua composição desde a fonte até o nosso prato. 

2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades.

Embora seja muito difícil zerar o consumo desses ingredientes no dia a dia, eles devem ser consumidos com moderação. Utilize apenas o necessário para temperar e preparar a comida e evite exageros.

2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades.
3. Limitar o consumo de alimentos processados

3. Limitar o consumo de alimentos processados

Alimentos processados são aqueles que passam por processos industriais e adição de componentes que tornam o alimento mais durável, palatável e atraente - é o caso dos legumes em conserva, compotas de frutas, carnes defumadas, pães e queijos. Tente reduzir o consumo deles.

4. Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados

São exemplos os biscoitos recheados, salgadinhos de pacote, refrigerantes e macarrões instantâneos. Nesse caso, a maior parte do que comemos são formulações industriais, não alimentos propriamente ditos. Por isso são nutricionalmente desbalanceados e devem ser evitados sempre que possível. Além disso, suas formas de produção, distribuição, comercialização e consumo muitas vezes têm impactos também no meio-ambiente.

4. Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados
5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia

5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia

Evite “beliscar” entre as refeições para comer de forma adequada e nutritiva quando for de fato sentar para comer. Procure se alimentar devagar e, de fato, desfrutar sua comida. Sempre que puder, opte por fazer as refeições em lugares limpos, confortáveis e com companhia, para deixar esses momentos ainda mais agradáveis.

6. Fazer compras em locais que oferecem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados

São exemplos as feiras livres e estabelecimentos de produtores locais. Assim, você pode até ficar na dúvida do que comprar, mas tem menor chance de escolher um alimento ultraprocessado como alternativa.

6. Fazer compras em locais que oferecem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados
7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias

7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias

Fazer parte do processo de preparo do seu próprio alimento ajuda a desenvolver consciência sobre o tamanho da porção necessária, além de permitir variações e substituições saudáveis.

8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece

Planeje de forma antecipada as compras da semana e seu cardápio. Reavalie como você tem usado o seu tempo e identifique quais atividades (como aquela olhadinha de meia hora no Instagram) poderiam ceder espaço para a alimentação com a calma que ela merece.

8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece
9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora

9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora

Tente evitar redes de fast-food. Restaurantes de comida a quilo podem ser boas opções, assim como refeitórios que servem comida caseira em instituições como escolas ou faculdades, ou no local de trabalho.

10. Ser crítico com propagandas de comida

Avalie com crítica o que você lê, vê e ouve sobre alimentação em propagandas comerciais.

 

Como falamos, mais do que uma questão estética, a alimentação pode ser uma aliada na manutenção da saúde e prevenção de doenças. Portanto, mantenha o olho aberto no que você coloca no prato.

10. Ser crítico com propagandas de comida

COMPARTILHAR

Referências: